O uso de um sistema para cartórios com backup em nuvem ajuda as serventias a cumprirem sua missão social. Os cartórios existem para atender ao cidadão brasileiro, garantindo autenticidade e segurança de documentos e negociações durante toda a vida das pessoas.

Ainda, ajudam a desafogar nosso sistema jurídico, tão demandado e sobrecarregado. Além disso, a modernização constante, como o uso de sistema para cartórios com backup em nuvem, auxilia na promoção de maior segurança jurídica e praticidade para a rotina dos cidadãos.

Esse tipo de inovação, de fato, é fundamental para assegurar a segurança no armazenamento dos dados em tempos em que riscos como os ataques virtuais e sequestros de dados se tornam práticas hackers cada vez mais comuns no país.

Que tal compreender melhor o que é um sistema para cartórios com backup em nuvem, suas vantagens amplas, como ele funciona e como implementar em sua serventia? Para isso, continue a leitura!

Qual a diferença entre armazenamento local e em nuvem dos dados?

Antes de saber sobre os benefícios do sistema para cartórios com backup em nuvem, é importante compreender as diferentes formas de armazenamento de dados.

Resumidamente, o armazenamento em nuvem é aquele que mantém os dados digitais em um espaço online que possui vários servidores e que você pode acessar remotamente – com segurança e de onde estiver.

Já o armazenamento local é aquele no qual você guarda os dados da serventia em dispositivos de armazenamento físico, como unidades de disco rígido (HDDs), unidades de estado sólido (SSDs) ou dispositivos de armazenamento externos. Nesse caso, você só poderá acessar os dados localmente e, em caso de perda sem backup, será muito difícil reavê-los.

O que é backup em nuvem e por que ele eleva a segurança dos dados?

Trata-se de uma estratégia com a qual se envia pela internet uma cópia de um arquivo ou banco de dados para um local secundário externo para preservação em formato digital em caso de falha do equipamento ou catástrofe.

O backup em nuvem é uma alternativa que ajuda a garantir a segurança dos dados. Assim, se sua serventia armazena dados em um disco rígido que apresentou mau funcionamento do hardware, você não irá perdê-los se houver seu backup em nuvem.

E mais: mesmo se, porventura, sua serventia tiver equipamentos roubados, por exemplo, você não irá perder os dados armazenados localmente nas unidades físicas se fizer o backup em nuvem.

Além disso, como há controle de acesso, criptografia e outros recursos para garantir a integridade dos dados, sua segurança torna-se ainda mais elevada.

Serventias com servidores também precisam de um sistema para cartórios com backup em nuvem?

Há cartórios que já investiram em servidores de qualidade para o armazenamento de dados. Outros, continuam utilizando soluções mais simples, como HDs externos para o backup dos dados.

Isso, como vimos, mantém o cartório sob o risco de perda dos dados seja por mau funcionamento do dispositivo ou por falhas por esse ser um processo feito manualmente.

Sendo assim, ter um sistema para cartórios com backup em nuvem permanece importante mesmo para as serventias que utilizam outras formas de armazenamento e de backup. E mais: passa a ser algo mandatório a partir de instrumentos como o Provimento nº 74/2018.

Sistema para cartórios com backup em nuvem para atender ao Provimento nº 74/2018

Provimento n° 74/2018, estabelecido pela Corregedoria Nacional de Justiça (CNJ), reforçou exigências de segurança e armazenamento de dados para cartórios. Com isso, documentos como livros e atos utilizados por serviços notariais devem estar disponíveis com backup em nuvem e físico.

Além da obrigatoriedade em se manter o backup em nuvem, é importante pensar no que buscar nesses sistemas para cartórios para otimizar os resultados dessa decisão e as melhorias na serventia.

Assim, com as prioridades bem alinhadas, é possível que o sistema de backup em nuvem possa exceder sua utilidade prática operacional, uma vez que a informatização de cartórios muda não apenas a forma de proteger a integridade dos autos, como também dos processos, além de colocar o cartório em um novo estágio de modernização e mais próximo de um maior nível de excelência.

Quais são as formas de fazer backup em nuvem?

Como vimos, há a obrigatoriedade de também manter os dados do cartório protegidos por meio do backup em nuvem.

Esse é um serviço também disponível gratuitamente. Entretanto, costumam apresentar uma limitação de espaço e de recursos que não é indicada para os cartórios. O recomendado é optar por serviços de backup em nuvem pagos, para ter disponibilidade adequada de espaço, servidores mais ágeis e acesso a recursos de segurança mais completos e atualizados.

Além disso, para atender ao que prescreve o Provimento nº 74/2018, é importante levar em conta alguns critérios. Por exemplo, é necessário ter um agendamento das atualizações dos backups em períodos não superiores a 24 horas e de pontos de recuperação dos dados a cada 30 minutos. E isso tudo sem prejudicar o ritmo de trabalho e a produtividade da equipe.

Uma forma eficiente e prática de fazer isso é utilizando um sistema para cartórios com backup em nuvem.

Assim, apenas com o acesso à internet, os dados alterados ou inseridos em suas bases serão atualizados automaticamente no backup em nuvem, sem demandar esforços adicionais e perda de foco de sua equipe.

Como vimos, a nuvem proporciona diversos benefícios especialmente em termos de mais flexibilidade, segurança e escalabilidade para armazenar e acessar os dados da serventia. Um sistema especializado baseado nesta tecnologia, portanto, potencializará esses ganhos ajudando a garantir a produtividade do cartório e um nível elevado de segurança de seus dados.

Principais vantagens do sistema para cartórios com backup em nuvem

Os sistemas especializados, como o da Alkasoft, oferecem benefícios que vão além do armazenamento seguro dos dados da serventia. E tudo em consonância com o Provimento nº 74 do CNJ e as melhores e mais modernas práticas do mercado.

Entre essas vantagens, podemos citar:

1. Maior agilidade nos processos

A partir do uso de um sistema para cartórios com backup em nuvem, a rotina laboral será otimizada de diversas formas. Com essa digitalização, cartórios deixam de ter seus registros e os documentos armazenados de forma fragmentada e descentralizada. Isso significa que processos que, antes, necessitavam percorrer um caminho maior para validar determinada etapa, passam a ser acessíveis no mesmo painel, de modo fácil, rápido e organizado.

Essa praticidade ajuda a tornar o cumprimento das atividades notariais muito mais ágil. Por exemplo, as diversas tarefas que envolvem checagem e cruzamento de dados poderão ser automatizadas, tornando o ciclo desses processos mais curto e célere. Isso permite que o atendimento assuma um caráter estratégico, possibilitando que os cartórios possam oferecer uma experiência melhor a seus clientes.

Além disso, o processo de migração de dados torna-se muito mais tranquilo, ágil e fácil com o uso de um sistema para cartórios com backup em nuvem como o da Alkasoft.

2. O sistema para cartórios com backup em nuvem possibilita o trabalho remoto

O sistema de backup em nuvem, ao contrário de servidores internos, permite um acesso mais facilitado aos dados (naturalmente, por quem tem autorização para isso). Em tempos em que se torna crucial poder trabalhar com dados do cartório em qualquer local, isso é uma vantagem mercadológica. A adoção de um sistema de backup em nuvem para cartórios, mais do que conformidade, permite mais versatilidade e eficiência para a serventia – e isso inclui atividades a distância.

Antes da popularização de serviços que fornecem o backup em nuvem, cartórios estavam limitados aos softwares e hardwares internos. Hoje, é possível que se integrem aplicativos em dispositivos móveis ou plataformas digitais a toda organização dessa informação. Com isso, cartórios podem oferecer a disponibilidade de seus serviços de forma muito mais prática a seus clientes e funcionários.

3. Facilidade no compartilhamento de dados

Um dos maiores gargalos do armazenamento manual de dados, atualmente, é estar desalinhado com a realidade da produção de dados. Hoje, dados não apenas são produzidos em maior quantidade, como também geram maior complexidade. A gestão de informação no cartório torna-se cada vez mais prioritária, exigindo que serviços de registro e notariais modernizem-se para acompanharem essas mudanças nos demais segmentos de mercado.

Nesse contexto, utilizar um sistema para cartórios com backup em nuvem permite o compartilhamento de arquivos em tempo real, conforme as demandas surgidas. Com isso, a informatização de cartórios torna-se um importante aspecto competitivo. Gestores podem aplicar, com consistência, projetos de conformidade que tornam esse compartilhamento mais ágil e eficiente para toda a cadeia.

4. Maior segurança no backup de dados

É enorme a responsabilidade de um cartório com os dados de seus clientes. Por isso, mesmo antes da acessibilidade dos sistemas com backup em nuvem, a segurança já era um ativo fundamental. Porém, por mais que houvesse investimento em tecnologias e sistemas que agissem em redundância para proteger dados, havia uma limitação. E essa estava na forma com que dados eram criptografados.

O sistema para cartórios com backup em nuvem pode se aproveitar de funcionalidades que automatizam rotinas de cópias de dados. Assim, caso informações sejam corrompidas ou o cartório sofra com ataques digitais, tem-se a possibilidade de obter versões do mesmo arquivo, salvas de maneira automática. E isso adiciona uma camada extra de proteção e segurança de alto valor.

5. Adequação à LGPD

O sistema para cartórios com backup em nuvem também facilita a adequação das serventias à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). Isso porque, ao ir além do armazenamento manual dos dados, eleva-se o nível de segurança dessas informações. Também porque há o registro de atividades para monitorar eventuais focos de risco e recursos para uma gestão da informação completa da serventia.

E então, pronto para ter essas vantagens em sua serventia? Para isso, entre em contato com nossa equipe e solicite uma demonstração.

Você conhece os modelos de gestão para escritórios de advocacia? Esses modelos podem ser conceituados como um conjunto de estratégias de gestão cujo objetivo é coordenar a equipe na execução das tarefas para potencializar a conquista de resultados.

Dentre os vários modelos de gestão, existe um mais conveniente para sua organização. Por isso, é importante conhecer quais são eles, bem como suas vantagens e desvantagens.

Confira!

Modelos de gestão para escritórios de advocacia

A escolha das melhores estratégias de gestão na advocacia deve ser feita com muito critério. Diante da alta competitividade no setor jurídico, a profissionalização é mais do que necessária. Ela passa por ter uma estrutura organizacional e administrativa eficiente, o que se liga diretamente aos modelos de gestão para escritórios.

Gestão democrática/horizontal, meritocrática, centralizada/vertical, com foco em resultados ou em processos, ou por cadeia de valor. Esses são os modelos de gestão mais conhecidos no mundo corporativo. Mas qual é o melhor para seu escritório? 

De maneira geral, vemos dois principais modelos de gestão para escritórios de advocacia: vertical e horizontal. Seja qual for o escolhido, é preciso adaptá-lo à realidade de cada negócio.

Gestão Vertical

A gestão vertical é um dos modelos de gestão para escritórios em que há centralização no comando e no controle das atividades. Existe uma estrutura hierárquica bem definida, e a abordagem é chamada de top-down (de cima para baixo). Isso significa que há uma decisão unilateral dos sócios ou do gestor jurídico que reflete em todas as camadas hierárquicas seguintes. 

Esse tipo de gestão é mais burocrático e é bastante comum em escritórios de advocacia. Afinal, há muito conservadorismo no Direito, inclusive no tocante às estratégias de gestão. Devido a essa característica, a gestão vertical apresenta algumas desvantagens:

  • Dificuldades em implementar novas tecnologias, como os sistemas para advogados;

  • Maior lentidão nas decisões e nas ações do escritório;

  • Colaboradores sem autonomia;

  • Dificuldades na comunicação.

Porém, o modelo tradicional pode ser interessante em escritórios recém-criados. Nestes casos, os profissionais podem ter pouca experiência ou qualificação. Por isso, precisam de um guia (o gestor) para tomar as rédeas.

Gestão Horizontal

Na outra ponta dos modelos de gestão para escritórios de advocacia está a gestão horizontal. Muito comum em startups, é um tipo de gestão que valoriza a colaboração e a multidisciplinaridade. 

Ao invés de estabelecer uma estrutura top-down, a estrutura é horizontal, pois os profissionais não dependem de um superior para atuar de determinada maneira. Isso significa maior autonomia e poder de decisão para todos. 

Como benefícios da gestão horizontal, podemos apontar:

  • Tomada de decisões colaborativas, o que engaja os trabalhadores com o negócio jurídico, trazendo maior produtividade e melhores resultados;

  • Atribuição de maior responsabilidade aos profissionais, o que pode aumentar seu engajamento e motivação no trabalho;

  • Maior tendência e facilidade na utilização de tecnologias, como os sistemas para advogados;

  • Maior agilidade na execução de atividades nos escritórios.

Por outro lado, se os profissionais não possuem um perfil mais autônomo, esse tipo de gestão pode ser um problema. Afinal, a gestão democrática precisa de profissionais comprometidos com o planejamento e com os resultados.

Neste caso, é fundamental que o líder prepare sua equipe para esse tipo de gestão para advogados.

Metodologia ágil

A metodologia ágil é um ótimo exemplo de método aplicável ao modelo horizontal de gestão. É uma das estratégias de gestão focada na descentralização da tomada de decisões e no engajamento das equipes nas ações do escritório. 

Para aplicá-la na advocacia e usufruir de seus benefícios, o gestor deverá adotar três práticas principais:

  • Reuniões diárias (daily scrum meeting): realizada em pé e por no máximo 15 minutos, os participantes passam a saber o que cada equipe fez no dia anterior e fará nas próximas horas;

  • Reuniões semanais de planejamento: servem para que todos tenham ciência do andamento dos projetos, as atividades e os prazos de cada um. É importante para monitorar e documentar os resultados da equipe. 

  • Definição de OKRs: como a metodologia ágil se baseia no planejamento contínuo, de curta duração, é importante avaliar e acompanhar se as metas estão sendo cumpridas.

Os principais modelos de gestão para escritórios de advocacia são os modelos vertical e horizontal. Cada um apresenta vantagens e desvantagens, e cabe ao gestor avaliar qual se adequa melhor à realidade de seu negócio. Isso significa avaliar a estrutura e o grau de maturidade geral, inclusive dos profissionais. 

Além disso, as ferramentas utilizadas devem estar de acordo com o modelo de gestão. Já parou para avaliar seus sistemas e seu modelo? Há coerência entre eles? Conte para a gente sua experiência!

A transformação digital das empresas é um caminho sem volta, tendo sido acelerada com a pandemia do novo coronavírus. Esse processo favorece a eficiência dos negócios; maior competitividade e produtividade; redução de custos, retrabalhos e atrasos; níveis mais elevados de satisfação do cliente e de segurança das informações, entre outras coisas. É por isso que escolher o melhor sistema para cartório é algo fundamental para melhorar de forma global os resultados de sua serventia.

Hoje, há diversas ferramentas generalistas e especializadas disponíveis, o que pode tornar o processo decisório para a escolha da tecnologia ideal mais confuso e moroso.

Para ajudar nessa etapa, preparamos este artigo. A seguir, veja dicas essenciais para facilitar essa escolha e vencer os gargalos de seu sistema atual que estão impedindo seu cartório de alcançar sua excelência.

1. Prefira um sistema para cartório 100% online

Vivemos em uma sociedade cada vez mais digitalizada e com modelos de trabalho flexibilizados. Isso quer dizer que ter acesso ao seu sistema para gestão de cartórios sempre que precisar, de onde estiver, é algo que ajudará a manter a fluidez do seu fluxo de trabalho – inclusive, em modelos remotos.

Além disso, um sistema online para cartório apresenta diversas vantagens adicionais, como:

  • Centralização do armazenamento;
  • Facilidade de acesso às informações;
  • Camadas extras de segurança;
  • Atualizações constantes;
  • Conformidade com normas legais;
  • Entre outras.

2. Escolha uma solução com recursos e funções especializados para cartórios

Pode parecer simplista, mas esse é um ponto que, muitas vezes, é deixado em segundo plano. O melhor sistema para cartório será aquele desenvolvido e aprimorado para atender às demandas tão características e exclusivas desse tipo de negócio.

O que isso quer dizer?

  • Um sistema generalista contribui para administrar e automatizar algumas rotinas, mas esse apoio é bastante limitado;
  • Uma solução especializada é focada exclusivamente nas rotinas cartoriais e no atendimento a obrigatoriedades do setor, como o Provimento nº 74;
  • Entre os recursos de um sistema especializado, como o da Alkasoft estão: controle de documentação e protocolos; impressão dos protocolos conforme o padrão utilizado pelo ofício de registro (impressão personalizada); gestão financeira da serventia; emissão de certidões; ofícios e relatórios; cadastro de matrículas em lote; validação da autenticidade de documentos por meio de certificado digital, entre outros.

Viu só como há uma importante diferença? Por isso, na informatização de cartórios, opte por um sistema especializado para solucionar com eficiência os problemas enfrentados por sua serventia.

3. Leve os diferenciais de segurança em consideração

Segurança é um atributo central para escolher o melhor sistema para cartório. As serventias lidam com um grande volume de dados sensíveis, que demandam sigilo e proteção, inclusive no que diz respeito à sua integridade em caso de incidentes, como o roubo ou a falha de equipamentos.

Por isso, é fundamental contratar um sistema para gestão de cartórios que apresente diferenciais de segurança que ajudem a evitar a perda completa ou parcial do acervo eletrônico de dados e imagens de seu negócio, além da interrupção no atendimento em função de ameaças e perdas de informações que comprometam as operações.

Um dos pontos cruciais nessa escolha, portanto, é verificar se o sistema oferece a vantagem do backup em nuvem de seus dados, gerando uma cópia segura e não contaminada das informações.

4. Considere como o sistema irá elevar a produtividade

Um dos grandes desafios enfrentados pelas serventias é o de melhorar a produtividade da equipe. Contratar mais pessoal nem sempre é possível ou a solução mais eficiente para vencer esse desafio.

O caminho pode estar na contratação do melhor sistema de gestão para cartório. Para ter certeza de que essa ferramenta realmente tenha o potencial necessário para tornar sua equipe mais produtiva, verifique pontos como:

  • O sistema oferece automação das principais rotinas do cartório?
  • É possível fazer a indexação de documentos já digitalizados de maneira ágil e segura para pesquisas de sua serventia?
  • Ele permite a otimização e o controle dos fluxos de trabalho?
  • A ferramenta integra com facilidade os livros de protocolo?
  • É possível monitorar indicadores de produtividade globais e individuais com o sistema?
  • Ele possibilita o cadastro de matrículas em lote?
  • O acesso aos dados e emissões de relatórios é fácil?
 

5. Escolha um sistema que ajude a melhorar e agilizar o atendimento

Outra necessidade comum das serventias é tornar o atendimento mais eficiente e rápido. O melhor sistema para cartório ajudará nisso de diferentes formas.

Isso inclui permitir que sua equipe perca menos tempo com tarefas repetitivas e manuais e se dedique mais ao atendimento das demandas dos clientes.

Além disso, no caso do sistema da Alkasoft, é possível adicionar o diferencial de um portal de acesso online, para que o cliente acompanhe o andamento dos títulos sem ter de se deslocar até a serventia. Assim, a informatização de cartórios realmente trabalha para elevar a satisfação do cliente!

6. Cheque se há serviço de suporte e treinamento

O melhor sistema para cartório também é aquele que apresenta usabilidade facilitada e que sua equipe realmente consegue utilizar e extrair benefícios em seu dia a dia.

Para que isso ocorra, é importante contar com suporte técnico prestado por equipe especializada em cartórios e processos e na migração de dados entre sistemas.

Assim, desde a implementação até as aplicações mais rotineiras, você saberá que terá o apoio necessário para, de fato, gerar diferenciais e ter mais produtividade com o uso do sistema.

7. Opte pelo sistema que ajude na adequação às obrigatoriedades do setor

Em meio à rotina corrida, os cartórios também têm de lidar com adequações a prescrições legais. Sem a segurança de contar com um sistema preparado para isso e que seja constantemente atualizado, este trabalho pode se tornar uma grande dor de cabeça.

É por isso que o melhor sistema para cartório já é desenvolvido tendo este pilar. A solução da Alkasoft, por exemplo, atende às exigências e provimentos com agilidade nas atualizações demandadas pelas serventias. Isso inclui, por exemplo, o Provimento nº 74 e a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).

8. Verifique a credibilidade do fornecedor para escolher o melhor sistema para cartório

Nessas situações, também é importante averiguar qual é a empresa desenvolvedora, como é sua reputação no mercado, solicitar exemplos de cases de sucesso e feedback de outros clientes.

Assim, você tomará uma decisão mais segura e terá a certeza de que o que está sendo oferecido realmente é cumprido na prática.

Agora que você já sabe como escolher o melhor sistema para cartório, entre em contato com os consultores da Alkasoft e solicite uma demonstração de nosso sistema.

Metodologia ágil para advogados, assim como para outros profissionais, é um conjunto de modelos de gestão baseados em maior liberdade e menos hierarquia. Elas desconstroem as estruturas rígidas e hierárquicas para substituí-las por autonomia na condução dos processos. Em outras palavras, é um tipo de gestão em que há uma abordagem de mínima intervenção no gerenciamento de projetos.

Para que essa metodologia dê certo, é de fundamental importância que os agentes envolvidos entendam a proposta. Quando isso acontece, a descentralização promove alto engajamento e maior motivação, pois todos participam ativamente dos projetos.

E como é a aplicação da metodologia ágil para advogados? É uma das estratégias de gestão que traz resultados?

Como as metodologias ágeis podem ser aplicadas na advocacia?

Um escritório de advocacia ou um departamento jurídico também podem usufruir de um modelo horizontal de gestão. A descentralização é uma grande aliada da agilidade na tomada de decisões e da maior produtividade. No entanto, é fundamental que haja um acompanhamento próximo para ter entregas melhores a todo o momento.

Para garantir a efetividade da metodologia ágil para advogados, há algumas ações que o gestor deve adotar:

  1. Fazer reuniões diárias: aliadas da gestão do tempo, as daily meeting são realizadas em pé e duram no máximo 15 minutos. No encontro, cada equipe reporta o que foi feito no dia anterior e o que será feito nas próximas horas. Também pontuam erros e avaliações. Além de promover a colaboração, todos têm ciência do que está sendo feito por outras equipes.

  2. Fazer reuniões semanais de planejamento: a metodologia ágil para advogados depende também de planejamento, o que é feito na reunião semanal. Assim, é possível monitorar e documentar o desempenho das equipes, bem como pensar nas tarefas individuais e coletivas que cumprirão a meta da empresa. 

  3. Definir OKRs (Objectives and Key Results): os OKRs, que devem estar de acordo com a visão do escritório ou departamento, são utilizados para o acompanhamento das metas. Eles podem abranger indicadores financeiros, quantidade de processos finalizados, feedback dos atendimentos e outros.

  4. Utilizar tecnologia: os sistemas para advogados e as ferramentas baseadas em IA podem otimizar os processos internos. Elas dão ao gestor maior controle sobre prazos e tarefas, além de aprimorar a colaboração, a transparência e a eficiência do serviço.

Exemplo prático

Vamos a um exemplo prático dessa gestão para advogados. Imagine que uma equipe do escritório possui 15 dias para realizar 3 grandes tarefas: entregar os relatórios de gestão do escritório, concluir as alegações finais de um processo de sonegação fiscal e elaborar um contrato para um cliente.

Ela pode criar 5 ciclos de 3 dias. No fim do 1º ciclo, ela entregará o relatório financeiro do escritório e revisará a jurisprudência aplicável ao caso de sonegação. No fim do 2º ciclo, entregará o relatório de gestão de pessoas e revisará a doutrina do processo. E assim por diante. A cada ciclo, há pequenas entregas que, no final dos 5 ciclos, perfazem o resultado final.

Quais as vantagens da metodologia ágil para advogados?

Na gestão para advogados, é preciso cumprir uma série de procedimentos para que o fluxo de trabalho seja fluido. Ao receber uma demanda de um cliente, por exemplo, é preciso colher informações e documentos do caso, pesquisar doutrina e jurisprudência aplicável, elaborar um documento jurídico e revisá-lo, até que a demanda seja concluída. 

Se a rotina é estruturada de forma inadequada, os gargalos aparecem e podem ocasionar atrasos. Para evitar esse tipo de problema, a metodologia ágil para advogados é uma ótima opção. Esse tipo de gestão, como apontamos, é baseado na autonomia das equipes na condução dos projetos. E é do seu conceito que saem suas principais vantagens, que são:

  • Alinhamento das equipes: um escritório ou departamento jurídico pode ser dividido em diversas áreas. Elas devem manter uma boa comunicação entre si para alcançar as metas propostas, e isso é mais fácil com a metodologia ágil para advogados. Essa gestão facilita o alinhamento das equipes.

  • Horizontalidade no planejamento: ainda que exista um responsável pela gestão do projeto, a metodologia ágil é mais flexível e horizontal. Isso significa que as equipes são autogerenciadas e podem se organizar sem interferência externa. 

  • Maior produtividade: com boa comunicação, organização, e delimitação de responsabilidades e prazos de cada profissional, a equipe se torna mais produtiva nas entregas. 

Um importante pilar da metodologia ágil para advogados é descentralizar a tomada de decisões, permitindo que os profissionais atuem com maior liberdade. Para que eles tenham maior produtividade e organização em seus projetos, o uso de um software jurídico é essencial. Dessa forma, as tarefas repetitivas são automatizadas e eles fazem uma melhor gestão do tempo, atuando em atividades estratégicas. 

Como você aplica a metodologia ágil em seu negócio jurídico?

escritorio-digital

Você já parou para pensar que os modelos de gestão para cartórios são tão importantes quanto seu modelo de negócio? Esses são elementos cruciais para orientar sua serventia para o sucesso, estabelecendo parâmetros, padrões e objetivos claros e assertivos que permitirão, entre outras coisas, a otimização de tempo, maximização da produtividade e do engajamento da equipe, melhor atendimento ao cliente e redução de custos.

Mas o que são modelos de gestão para cartórios e como escolher um para sua serventia? É o que abordaremos a seguir.

O que são os modelos de gestão para cartórios?

Resumidamente, referem-se a escolhas metodológicas, sistematizadas e holísticas para o gerenciamento da serventia, ajudando a guiar o trabalho das equipes e orientá-lo para os objetivos estabelecidos.

Quando se adota conscientemente uma linha de gestão, o negócio passa a ser visto como uma verdadeira engrenagem, fortificada pela atuação estratégica e conjunta de seus elos. 

Quais os principais modelos de gestão para cartórios?

Há variados tipos de modelos de gestão para cartórios que podem ser considerados por sua serventia. Entre eles, estão:

Gestão por resultados

Este é um modelo que avalia o desempenho dos funcionários não por números de horas trabalhadas, mas pela finalização de suas metas. 

Neste modelo de gestão para cartórios, é fundamental ter um planejamento estratégico, desdobrando seus objetivos macro em metas SMART (específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e temporais), cascateadas entre os membros da equipe.

Com isso, todos sabem o que precisam fazer e como seu trabalho será avaliado. É comum que neste modelo o alcance dos resultados esteja atrelado a recompensas para os colaboradores.

Assim, para implementá-lo, é importante: 

  • Revisar os objetivos do planejamento estratégico;
  • Transformar os objetivos estratégicos em metas SMART para a equipe;
  • Estabelecer formas de mensuração;
  • Monitorar o progresso;
  • Avaliar o desempenho;
  • Recompensar pelos resultados obtidos.
 

Gestão por processos

Entre os modelos de gestão para cartórios, este fornece métodos e recursos para analisar, definir, otimizar, monitorar e controlar processos de negócios e para medir e impulsionar o desempenho aprimorado de processos por meio das pessoas.

Assim, formalizar e institucionalizar as melhores maneiras de fazer o trabalho é algo central, por meio de mapeamento de processos, estabelecimento de POs (padrões operacionais), sistematização de workflows (fluxos de trabalho) e outras práticas.

Com isso, o objetivo é tornar os processos mais eficientes, padronizados, fluidos e produtivos, levando a um ciclo contínuo de avaliação e melhoria.

Assim, para implementá-lo é importante:

  • Ter uma cultura e mentalidade de gestão voltada a processos – com isso, as divisões não são baseadas em setores, mas sim em cada etapa do processo compartilhado pelos diferentes funcionários de diferentes posições e áreas;
  • Mapear, redesenhar e otimizar fluxos de trabalho e processos continuamente;
  • Alinhar os processos com os objetivos estratégicos da serventia;
  • Estabelecer formas de monitoramento;
  • Automatizar atividades repetitivas e burocráticas, que tornam os processos morosos e ineficientes.

Gestão participativa

A gestão participativa refere-se a uma forma aberta de gestão na qual os funcionários estão ativamente envolvidos no processo de tomada de decisão da organização. Nestes modelos de gestão para cartórios, os funcionários têm oportunidades de contribuir com as políticas e decisões da serventia que atinjam as metas de negócios e, ao mesmo tempo, promovam a satisfação em sua carreira.

Diferentemente de um estilo de gestão autocrático, em que o gestor assume o controle operacional e toma as decisões unilateralmente, na gestão participativa todos podem oferecer sugestões para encontrar soluções viáveis ​​para os problemas de negócios.

Com isso, tem-se funcionários mais valorizados e engajados e mais inovação e colaboração na serventia.

Para implementar a gestão participativa, é importante:

  • Cooperação, colaboração, engajamento e empatia fazerem parte das diretrizes estratégicas e da cultura do negócio;
  • Haver maturidade no sistema de gestão e no desenvolvimento e sinergia da equipe para que as decisões possam ser descentralizadas;
  • O gestor precisa saber delegar parte do seu poder e as equipes terem competências e habilidades sólidas para a tomada de decisões;
  • Haver um relacionamento de confiança entre todos;
  • Desenvolver comunicação aberta e transparente;
  • Estabelecer formas de avaliação do trabalho.

Dicas para escolher o modelo de gestão para cartórios ideal

Como vimos, existem diversos modelos de gestão para cartórios e não há um que seja melhor do que o outro. Assim, é preciso considerar as características dos modelos e os objetivos, cultura e estilo de gestão e liderança de sua serventia para chegar à escolha ideal. 

Uma alternativa comum é combinar diferentes princípios de dois ou mais modelos conforme as necessidades de cada negócio. 

Além disso, é possível migrar entre modelos acompanhando as mudanças internas ou externas do mercado. 

Mas, independentemente dos modelos de gestão para cartório escolhidos, será fundamental buscar maneiras de mapear seus processos e estabelecer bons fluxos de trabalho e formas de mensuração para o atingimento das metas.

Conte com o Alkaflow para isso! Com este sistema de gestão, você poderá acompanhar o fluxo completo do seu cartório, da distribuição de tarefas às estatísticas de desempenho da equipe. Solicite uma demonstração!

A marca é um ativo primordial para qualquer negócio. Portanto, assim como outros ativos, como dinheiro em caixa, mercadorias, maquinários e outros, esse também deve ser monitorado proativamente. Por isso, monitorar a gestão de marca é um serviço cada vez mais visado pelos clientes de escritórios e agências de marcas e patentes.

A marca de uma organização a diferencia no mercado, ajuda a criar e fortalecer relações com os clientes, a blindar o negócio contra instabilidades e ações da concorrência, a gerar valor e a atrair e reter os melhores talentos e clientes para a empresa.

Para obter esse tipo de resultado, no entanto, é fundamental realizar um trabalho de monitoramento ativo, de modo a evitar problemas que impactem na performance da empresa e na proteção de seu negócio, incluindo plágios e usos indevidos de suas marcas.

Mas qual é a melhor forma de realizar esse trabalho? Qual é a melhor maneira de monitorar a gestão de marca de seus clientes? Tire essas e outras dúvidas no artigo a seguir.

Como fazer a gestão de marca dos clientes de sua empresa de forma mais eficiente e estratégica?

Hoje, a opção mais eficiente, produtiva, prática e segura de fazer o monitoramento da gestão de marca é utilizar um software específico para essa finalidade. Com esse tipo de tecnologia, torna-se possível acompanhar e controlar a gestão de marca de modo ágil, personalizado e automatizado.

Além disso, palavras-chave e filtros variados desses sistemas possibilitam a geração de relatórios conforme as demandas e necessidades pontuais de gestão de marca de seus clientes.

Dessa maneira, monitorar a gestão de marca com esse tipo de tecnologia é uma decisão de valor estratégico, tanto para oferecer um serviço aprimorado para o seu cliente como para diferenciar sua empresa no mercado e tornar seus processos mais eficientes e produtivos.

Cabe destacar que, com o uso desse tipo de solução, será possível, ainda, otimizar estratégias de geração de lead para seus clientes, com o monitoramento de aspectos específicos e pesquisas de marcas em linha com sua estratégia, a partir de atributos como menções que estão sendo realizadas em relação a marcas de negócios concorrentes ou de parceiros relevantes para seu cliente.

Qual é a melhor ferramenta para efetuar o monitoramento da gestão de marca de seus clientes?

Há no mercado um sistema específico, moderno e atualizado para promover o monitoramento da gestão de marcas de modo prático, seguro, confiável e eficiente.

Trata-se do Siga Sua Marca. Essa é uma solução da Alkasoft, empresa com mais de 25 anos de experiência no desenvolvimento de tecnologias inovadoras voltadas aos segmentos de advocacia, cartórios e marcas.

O Siga Sua Marca é a solução ideal para monitoramento e proteção de marcas, facilitando, ainda, o acompanhamento de processos e despachos por departamentos e escritórios jurídicos.

Esse software permite que sua empresa atue garantindo a unicidade das marcas gerenciadas, executando o controle completo dos pedidos de registros em curso, obtendo alertas ágeis em situações como casos de colidências e conseguindo realizar o monitoramento de palavras-chave a partir de qualquer termo necessário para a estratégia de gestão de marca e para proteção em casos de surgimento de outras marcas utilizando parte de nome assemelhado ao registro de seus clientes.

O sistema disponibiliza acesso 24 horas por dia a uma grande base de marcas cadastradas – que já somam mais de três milhões atualmente. Esse é um diferencial valioso para sua empresa ter acesso a um motor de buscas potente e qualificado, que pode ser acessado por meio de diversos tipos de filtros, incluindo termos da marca, número do processo, titular, entre tantos outros, gerando resultados consistentes e precisos para o monitoramento de gestão de marca de seus clientes.

E então, o que você acha dessa solução para monitorar a gestão de marca de seus clientes? Você está em busca de um software robusto e confiável para ajudar no gerenciamento e na proteção de marcas sob a responsabilidade de seu negócio?

Faça contato com a Alkasoft e solicite uma demonstração gratuita do Siga Sua Marca e comprove, na prática, como seus recursos de automatização e sua ampla base de dados podem ser valiosos para o seu negócio e para o negócio de seus clientes.

A rotina de um tabelião exige o gerenciamento de diversas ações para a execução de um trabalho eficaz e com resultados positivos. Os processos do cartório são reconhecidos como complexos e, quando não bem otimizados, também como morosos e burocratizados. 

Sabe-se da importância do papel de um tabelião no cartório. É por meio de seu trabalho como oficial público, responsável pela preparação e autenticação de diversos documentos, escrituras e registros, que a população tem acesso a serviços essenciais ao longo de sua vida.

Entretanto, para que o atendimento prestado seja eficiente e qualificado e a rotina laboral ocorra sem maiores transtornos, é fundamental buscar constantemente maneiras de melhorar os processos do cartório.

Para obter dicas de como fazer isso, continue a leitura do artigo de hoje.  

7 boas práticas para o tabelião otimizar processos do cartório

Há diversos caminhos possíveis para desenvolver uma gestão ainda mais eficiente, com processos mais assertivos e um atendimento mais qualificado. Entre as ações recomendadas para isso, podemos destacar:

1. Tomar decisões baseadas em dados

O tabelião, liderança do cartório, é a peça-chave para conduzir os processos internos diários da serventia da melhor maneira possível. E, para isso, é importante ter entre suas habilidades a capacidade de tomada de decisão rápida e assertiva.

Uma das formas de fazer isso é reduzir o espaço para achismos e desenvolver a prática de tomar decisões baseadas em dados, trazendo mais segurança, celeridade e eficiência também nessa etapa. Os sistemas para cartório fornecem uma série de dados valiosos para orientar este processo.

2. Inovar na gestão do cartório

A modernização do seu cartório é essencial para inovar no atendimento aos seus clientes. Além disso, ela possibilita que você aprimore processos a partir das mais atuais práticas de gestão e tecnologias

Hoje, o cliente conta com a tecnologia para quase tudo, exigindo uma atualização nesse sentido das serventias. Ter acesso online a dados sobre o seu atendimento, por exemplo, é uma inovação que será valorizada e trará mais praticidade para todos os envolvidos.

 

3. Ter flexibilidade e empatia

Apesar de muitas das ações de rotina do tabelião demandarem protocolos em conformidade com provimentos e outras exigências legais, há espaço para demonstrar flexibilidade na gestão dos processos do cartório.

No escopo de seu trabalho, é possível ter autonomia para a determinação das melhores maneiras de se atender ao que prescreve a lei e ao que o público do cartório demanda.

Assim, é importante estabelecer uma mentalidade e uma cultura de melhoria contínua, que possibilite um atendimento menos marcado pela rigidez e mais pela empatia e foco em ajudar o cliente a solucionar suas dores efetivamente.

4. Delegar tarefas

É comum que alguns líderes acabem acumulando funções e executando processos que poderiam facilmente ser delegados. Isso resulta geralmente em atrasos nas entregas e na finalização dos atendimentos, erros e muito estresse. Isso não deve ser assim.

É essencial avaliar com cuidado o que é realmente de sua responsabilidade e o que pode ser delegado para sua equipe. Para isso, pode ser importante criar padrões operacionais e mapeamento de processos, destacando sempre qual profissional deve executar cada tarefa.

5. Automatizar processos

Uma das soluções mais eficientes para o tabelião melhorar os processos do cartório é automatizá-los. Na rotina laboral, o profissional precisa lidar e, por vezes, executar diversas tarefas manuais, repetitivas e que não geram valor para o cliente. Com isso, o tabelião acaba não conseguindo dedicar tempo e esforços para desenvolver uma gestão mais estratégica e preparar o negócio para o futuro.

Assim, automatizar processos é uma iniciativa cada vez mais imperativa para o tabelião conseguir obter maior eficiência em seus processos e mais qualidade e estratégia nas abordagens administrativas de sua gestão.

6. Utilizar softwares

Cada vez menos haverá espaço para erros, atrasos e inconsistências. Qualquer ocorrência dessas na rotina de um cartório pode ter um impacto bastante negativo.

Utilizar softwares para cartório para melhorar processos ajuda a evitar esses transtornos graves, trazendo também mais produtividade para a serventia e segurança para os dados e documentos armazenados.

7. Medir resultados

Todo o seu esforço e o de sua equipe merecem ter os resultados medidos. Essa mensuração é fundamental para avaliar se os objetivos estabelecidos foram alcançados ou o que é preciso ser feito para ajudá-los a conquistar as metas determinadas.

Quando medimos nossos resultados, paramos para avaliar aquilo que precisa ser aprimorado, investido e adaptado. Nem sempre será possível ter a métrica de todos os resultados, mas aquilo que já foi detectado contribuirá para reduzir, cada vez mais, os erros e gargalos dos processos do cartório.

Se você ficou interessado em saber mais sobre como a tecnologia pode ser aliada para melhorar os processos, confira nosso artigo que mostra como um software para cartório contribui para isso.

Em meio aos impactos de um cenário atípico causado pela pandemia, nem sempre as empresas e os novos empreendedores se dão conta de uma questão bastante importante para a segurança e proteção de seu negócio: o registro de marca.

Resumidamente, o registro de marca é um título de propriedade conferido pelo Instituto Nacional da Propriedade Intelectual (INPI). Esse título garante a seu titular o direito de utilização exclusiva da marca registrada em seu campo de atuação.  

É importante lembrar que, conforme a Lei da Propriedade Industrial, é proprietário de uma marca somente aquele que possui o registro dela. Isso quer dizer que, mesmo que sua empresa utilize uma marca em seus materiais há anos, se ela não fizer o registro, outra pessoa que o fizer pode acabar sendo considerada a “dona” dessa marca. 

Por esse e outros motivos, é fundamental ter o registro de marca de seu negócio. Continue a leitura e descubra mais sobre isso e veja exemplos de como essa proteção mostra-se importante em tempos de pandemia. Acompanhe a seguir.

Por que fazer o registro de marca para empresas que surgiram na pandemia?

Com as restrições trazidas pelo novo coronavírus, muitas pessoas perderam o emprego, negócios precisaram se reinventar. E, como solução para diversos casos, o caminho do empreendedorismo e da inovação tem sido trilhado por muitas pessoas.

De fato, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), houve um crescimento no empreendedorismo durante a pandemia. Dados da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), feita em parceria com o Sebrae, demonstraram ainda que a taxa de empreendedorismo no Brasil registrou recorde neste período.

Dessa maneira, muitas novas empresas surgiram como resposta para se tentar vencer a crise. Porém, por vezes, o empreendedor acaba focando apenas em ações comerciais emergenciais de curto prazo para sobreviver e não se dá conta de que a marca de sucesso que ele está se esforçando tanto para construir pode acabar sendo tomada por outra pessoa se ele não fizer o registro de marca. 

Por isso, o registro é um investimento na segurança e proteção do negócio e deve ser feito, preferencialmente, logo na criação do empreendimento, eliminando os riscos de perda do direito de uso que surgiriam mais à frente.

Registro de marca como estratégia para fortalecer negócios na pandemia

Especialistas indicam que os períodos de incertezas são momentos para os empreendedores refazerem planos, estratégias e buscarem oportunidades de melhoria e neutralização de gargalos nos negócios para que, quando o cenário voltar a algo mais próximo à normalidade, a empresa esteja bem preparada para enfrentá-lo e ter sucesso.

E, uma das maneiras de fazer isso, é investir em sua marca, registrando-a e protegendo-a durante e após a pandemia. 

Uma marca registrada se destaca de concorrentes por transmitir mais credibilidade, confiança e profissionalismo, o que pode ser a diferença entre ganhar ou perder clientes que estão cada vez mais exigentes. 

Ainda, essa é a base para que a empresa possa investir com segurança em seu branding e marketing, tendo a certeza de exclusividade de uso da marca para destacá-la e fortalecê-la no mercado. 

Registro de marca para a expansão do negócio em tempos de pandemia

Entre os desafios enfrentados pelos proprietários de marcas durante a crise do novo coronavírus, está a manutenção da reputação e do valor de suas marcas. À medida que as empresas se adaptam por meio de novas maneiras de operar e atender aos clientes, elas estão usando suas marcas de novas formas e precisam de proteção para esses novos usos.

Muitos empreendedores, por necessidade ou oportunidade, buscaram novas alternativas de negócios durante a pandemia. Restaurantes abriram uma nova frente com delivery, marcas de roupas começaram a produzir máscaras, etc.

Disso pode ter surgido um negócio que irá permanecer além da pandemia. Fazer o registro de marca dos novos produtos, serviços ou mesmo de novos negócios criados pelo empreendedor, portanto, será algo importante para protegê-lo agora e no futuro.

Mas o registro de marca também está relacionado a outro tipo de expansão: as franquias. Muitos empresários não sabem, mas é preciso que a marca seja registrada para que se ingresse no modelo de franquia. Afinal, empresas que não registraram sua marca não podem franquear seu negócio. 

Registro de marca para proteção contra golpes e ações de má-fé

Durante o período de pandemia, tem ocorrido uma série de golpes fazendo uso de marcas consolidadas no mercado. Desde ações em redes sociais, produtos falsificados até golpes de phishing executados em nome de marcas para receberem acesso a dados confidenciais dos clientes – há crimes e ações de má-fé sendo praticadas com o uso de marcas de terceiros.

O registro de marca é uma forma de proteção e de agir rapidamente para demonstrar que seu negócio não tem envolvimento nessas ações, evitando prejuízos à sua marca.

A pandemia esteja criando novos desafios para os proprietários de marcas e está se tornando mais difícil para eles protegerem suas marcas se ela não for registrada.

A 3M, por exemplo, passou por uma situação assim nos Estados Unidos. A empresa é uma grande produtora de máscaras N95 e identificou que outras empresas estavam revendendo esses produtos a mais de quatro vezes o preço de tabela. Assim, a empresa fez reivindicações que incluíram violação de marca registrada, concorrência desleal, associação falsa, endosso falso, denominação de origem falsa, diluição de marca registrada e propaganda enganosa.

A empresa conseguiu impedir que as rés utilizassem a marca da 3M e vendessem suas máscaras. Essa proteção e esses resultados só foram possíveis por se tratar de uma marca registrada. 

E então, ficou mais claro agora como o registro de marca em tempos de pandemia continua sendo importante? Para saber mais sobre o assunto, confira também nosso artigo que explica como a marca registrada influencia na saúde da empresa.

Entre as demandas de rotina de gestão da serventia, é importante que haja um controle preciso dos processos. Afinal, é a partir de sua otimização que garante-se melhor produtividade para a organização, mais segurança para a documentação e uma maior taxa de satisfação do cliente com o atendimento.

Para isso, é crucial que se meça e gerencie os chamados indicadores, isto é, resultados mensuráveis que possam nortear o planejamento e a gestão contínua de melhorias na gestão cartorial. Neste artigo, falaremos mais sobre alguns indicadores que podem ser de grande utilidade para acompanhar na gestão da serventia.

Com esse trabalho de acompanhamento, será possível ter maior controle sobre a performance de sua operação e, até mesmo, ter tomadas de decisão mais ágeis. Então, confira as dicas a seguir.

O que são indicadores?

Você já ouviu a máxima do gerenciamento que diz que “você não pode gerenciar o que não mede”? A partir dessa visão, podemos compreender os indicadores como recursos básicos para a gestão da serventia e de qualquer negócio. Os indicadores são pistas, sinais ou marcadores que medem um aspecto da performance da empresa ou equipe.

Eles demonstram quão próximo dos objetivos estabelecidos o cartório se encontra, quantificando seu progresso e apontando se a estratégia utilizada está ou não impactando como o esperado nos resultados obtidos.

4 exemplos de indicadores importantes para a gestão da serventia

Há diversos indicadores possíveis de serem acompanhados na gestão da serventia. Entretanto, para não cair na armadilha do microgerenciamento, é fundamental determinar indicadores-chave de desempenho (conhecidos como KPIs), que representam os objetivos prioritários a serem buscados na gestão da serventia e que são fundamentais para o seu sucesso no longo prazo. Entre esses indicadores podem estar:

1. Satisfação do cliente

Os serviços prestados por cartórios extrajudiciais são vitais para a população. Certificar-se de prestar o serviço da melhor forma possível para satisfazer a esses clientes é um ponto essencial, portanto, para a gestão da serventia.

Um dos fatores que geralmente desencadeiam problemas nesse indicador diz respeito ao atendimento moroso. Assim, para melhorar essa métrica, um caminho eficiente é utilizar sistemas de produtividade, que ajudem a otimizar e automatizar processos do cartório e, com isso, possibilitem a prestação de um serviço melhor e muito mais ágil.

2. Capacidade de atendimento

Trata-se de um indicador básico na gestão da serventia, porém, apesar disso, muitos gestores não fazem o acompanhamento necessário. Sem que haja um indicador claro de capacidade diária, ações como aumento ou diminuição de escopo de determinados serviços cartoriais podem ter execução e resultados imprecisos.

Lembre-se: a necessidade do indicador deve refletir a capacidade não apenas de atendimento presente no período, como apontar a possibilidade de produtividade a médio e longo prazo. Afinal, com o acompanhamento do indicador, ficará mais viável e prático ao gestor detectar potenciais gargalos e oportunidades de melhoria em sua operação e capacidade de atendimento da serventia.

3. Fechamento de protocolos

A partir desse indicador da gestão da serventia, é possível fazer com que o cartório tenha maior poder de análise em relação a como os colaboradores desempenham suas funções. O fechamento de protocolos, em uma média, pode indicar para a gestão quais são os processos que são problemáticos ou apresentam gargalos.

Acompanhando esse indicador, o gestor poderá determinar quais processos estão morosos e precisam ser redesenhados, enxugados e automatizados para que a serventia possa ser mais produtiva e eficiente.

4. Tempo de espera na gestão da serventia

O tempo de espera, além de ser um indicador que representa a agilidade dos processos, acaba por ser um indicador que se reflete nos demais aqui citados. O tempo que um cliente leva para conseguir emitir documentos, realizar um registro ou obter a prestação de outro serviço da rotina cartorial está intimamente ligado à sua satisfação e à capacidade do atendimento da serventia em si.

Portanto, esse é um indicador bastante estratégico e que deve ser acompanhado recorrentemente para que o gestor tenha insights baseados em dados confiáveis para promover melhorias contínuas no cartório que impactarão diretamente em seus resultados e na satisfação do cliente.

Acompanhando a gestão da serventia de forma estratégica

Para o acompanhamento ativo da gestão da serventia, não basta somente mensurar os dados. É preciso fazer com que esses dados gerem relatórios que possam indicar melhorias e mudanças para que a serventia consiga atingir metas e superar barreiras que estejam impedindo o atingimento de melhores resultados.

Indicadores, em um contexto estratégico, precisam orientar uma inteligência de mercado para seu negócio. E, para que isso aconteça, a gestão da serventia deve assumir um caráter estratégico e de comunicação engajada, colocando os próximos passos e planos de ação de forma clara por meio do cruzamento de dados com os indicadores apresentados.

No entanto, para conduzir esse trabalho sem impactar nas demais responsabilidades, é importante considerar o auxílio da tecnologia, afinal, buscar e atualizar número a número manualmente, em uma operação complexa como a do cartório, poderia se tornar algo altamente contraproducente.

Quer saber mais sobre como utilizar um sistema de produtividade para acompanhar e otimizar a gestão da serventia de maneira inteligente e estratégica? Então, solicite uma demonstração do software Alkaflow, sistema da Alkasoft especializado na gestão da produtividade em cartórios.