fbpx

Você provavelmente já teve uma ótima ideia. Daquelas que você imaginou ser muito original e que nunca ninguém pensaria em algo parecido. No entanto, ao pesquisar um pouco mais a fundo, percebeu que já existiam muitos modelos de negócio parecidos. E é essa semelhança que chamamos de colidência. Quem trabalha com gestão de marcas conhece bem o termo e sabe a importância dele para os negócios.

Ainda que você tenha tido uma ideia realmente original e tenha conseguido registrar a sua marca, o desafio não acaba por aí. É preciso fazer o monitoramento e ficar atento às marcas que envolvem o seu produto, a fim de evitar plágios. E essa atividade pode ser bastante cansativa.

Imagine a seguinte situação: você cria um produto com as devidas especificações, registra no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) com o objetivo de resguardar os direitos autorais e, quando percebe, existe outra empresa que copiou o seu projeto. O que fazer diante dessa situação? Neste artigo, você descobre o que fazer em casos de colidência e como garantir um monitoramento de marcas eficiente para não perder prazos de oposição. Confira!

Monitoramento de marca: o segredo para identificar colidências

Ao fazer o monitoramento de marcas, você é alertado sobre possíveis ocorrências de colidência e tem a oportunidade de agir mais rapidamente.

Pois acredite, esse tipo de situação descrita é mais comum do que você imagina. Afinal de contas, existem muitos empreendedores que buscam uma forma de inovar. E muitas vezes essas colidências não são propositais.

Diante desse contexto, o monitoramento de marcas permite que você acompanhe registros de tudo que tenha relação com a sua marca. Dessa forma, é possível recorrer e tomar as providências necessárias.

Como funciona o recurso?

Sempre que uma marca inicia o processo de registro, o INPI publica o pedido e abre prazo para que terceiros que se julguem prejudicados pela marca solicitada façam oposição ao processo. Caso haja oposição, ela é publicada e o titular tem até 60 dias para responder.

Os prazos variam conforme os atos, no entanto, é importante ficar atento para não perdê-los. Perder um prazo pode significar perder a chance de defender a sua marca e ser obrigado a entrar em vias judiciais.

Todavia, como fazer esse monitoramento de marca e evitar que outras empresas registrem produtos semelhantes aos seus?

Bom, muitas empresas optam por um profissional especializado para essa tarefa. No entanto, é uma atividade que demanda tempo e sempre há o risco de se deixar passar alguma informação relevante.

Por isso, hoje em dia já existem soluções automatizadas que fazem esse mapeamento e garantem uma segurança maior à sua marca!

Siga Sua Marca: o sistema que está revolucionando a busca de marcas

A partir do software Siga Sua Marca, é possível extrair e analisar os dados publicados semanalmente na RPI (Revista da Propriedade Intelectual). Com isso, os usuários podem ser informados a respeito de despachos em seus processos ou sobre a ocorrência de alguma colidência.

Dessa forma, eles podem tomar as medidas cabíveis previstas na lei para defender as marcas sob a responsabilidade deles.

Conheça mais sobre as funcionalidades do Siga Sua Marca:

1. Monitoramento de marcas

É o monitoramento constante da RPI de Marcas, no intuito de detectar pedidos e registros de marcas colidentes com a marca que está sendo monitorada. Ao detectar uma colidência, uma notificação é enviada ao usuário (por e-mail ou por SMS), alertando-o.

Não é preciso alimentar o sistema com termos de pesquisa positivos ou negativos, prefixos, sufixos, entre outras informações. Basta escolher a marca a ser monitorada e pronto!

2. Monitoramento de palavras-chave

Semelhante ao monitoramento de marcas, serve para detectar pedidos e registros de marcas colidentes com a palavra-chave que está sendo monitorada. O diferencial deste serviço é que ele permite monitorar uma ocorrência de colidência a partir de termos quaisquer.

É útil, por exemplo, quando diversas marcas de um mesmo titular possuem um termo ou radical semelhante, ou quando é preciso monitorar uma marca em potencial ainda não publicada na RPI.

3. Monitoramento de processos

Consiste no monitoramento constante dos despachos publicados na RPI de marcas relativos ao processo que está sendo analisado. Uma notificação é enviada ao usuário (por e-mail ou por SMS), alertando-o sempre que um novo despacho referente àquele processo for publicado.

4. Pesquisas na base de marcas

Em uma base com mais de 2 milhões de marcas cadastradas, você pode fazer consultas 24 horas por dia. É possível realizar pesquisas com base em filtros, como termos da marca, número do processo, titular, procurador, entre outros.

Além disso, uma facilidade exclusiva oferecida pelo sistema é a busca preliminar instantânea, que emite um relatório de colidências detalhado a partir de qualquer expressão textual informada pelo usuário.

5. Cadastro de usuários

Cada assinante pode manter o seu próprio cadastro de usuários que terão acesso ao sistema. Eles podem ser cadastrados como administradores (com poderes para contratar e configurar monitoramentos) ou com acesso restrito (apenas para realizar pesquisas na base de marcas e acessar relatórios).

Ideal para garantir um monitoramento de marcas eficiente e, assim, evitar dores de cabeça, não é? Se você ficou interessado no Siga Sua Marca, entre em contato conosco e solicite um atendimento personalizado!

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *