fbpx

O Lawyer Eleven é o software jurídico da Alkasoft que vem facilitando a rotina dos advogados. Suas funcionalidades são muito úteis para controlar prazos de processos internos e externos, organizar toda atividade jurídica e a gestão da informação. Em suma, otimiza a gestão de forma global, ao oferecer uma visão estratégica do negócio.

A última novidade desse software, que conta com os módulos Agenda, Controle de Tempo, Contatos, Pasta Processual e Relatórios, se refere exatamente ao módulo Agenda. Agora, existe uma nova integração, confira a seguir um pouco mais sobre a novidade!

Módulo Agenda do Lawyer Eleven

Já pensou em registrar e acompanhar as atividades e a agenda de compromissos em um único local? O módulo “Agenda”, do Lawyer Eleven, traz exatamente funcionalidades que se relacionam a essas tarefas. O advogado ou outro profissional pode fazer cadastro de tarefas, controle de prazos e compromissos vinculados aos processos.

Dentre os benefícios que esse módulo traz, tanto para o gestor, quanto para o advogado, podemos citar:

  • Favorecimento à delegação de tarefas, uma vez que o responsável por delegar consegue visualizar quem está com mais ou menos responsabilidades naquele momento;

  • Facilidade em acompanhar a produtividade e o desempenho da equipe, uma vez que a ferramenta possibilita o controle do número de horas trabalhadas para cada cliente;

Layout do Agenda

Na tela do módulo Agenda, o profissional consegue visualizar o calendário diário, semanal e mensal. Ele pode incluir colaboradores ou grupos em sua agenda. Também é possível ver o planejamento de tarefas, o término de prazos e os compromissos cancelados.

Os compromissos podem ser separados em categorias, como “Geral”, “Fórum”, “Carga no processo”, “Reunião”, “Particular” e outros. Quando o usuário clica no compromisso, tem um resumo de suas informações. Dentre elas, estão: descrição, local, categoria, data de início e término, criador do compromisso, convidados e alertas (primeiro e segundo). É possível editar ou cancelar o compromisso.

Novidade na Agenda do Lawyer Eleven

Os benefícios que a Agenda do Lawyer Eleven traz para os advogados e para o gestor do escritório são relevantes. Pontuamos acima alguns deles. Com a novidade, a ideia é potencializar essas vantagens e otimizar ainda mais o trabalho dos profissionais.

Agora, a agenda do Lawyer Eleven é integrada ao Google Agenda e ao Calendário Outlook. Essa integração proporcionará um trabalho mais ágil e eficaz, pois traz praticidade aos processos internos.

Imagine que, em apenas um dia, você tivesse que anotar mais de 10 compromissos relativos a clientes, processos e reuniões de cunho pessoal. Já pensou no tempo que perderia se tivesse que anotá-los em sua agenda pessoal (Google Agenda ou Calendário Outlook) e em sua agenda no software?

Agora, não é preciso se preocupar com isso.

Benefícios

A Agenda do Lawyer já possuía a função de sincronizar as agendas dos profissionais do escritório. Ou seja, há um calendário comum e compartilhado entre todos, o que garante que nenhum compromisso seja marcado em horários inadequados ou que sejam esquecidos por falta de controle dos prazos.

Com a sincronização do Google Agenda e do Calendário Outlook, o software aprimora essa função para conferir mais praticidade e excelência nesta tarefa. E essa novidade não interfere no fato de que a agenda do Lawyer Eleven pode ser compartilhada com dispositivos móveis, facilitando o controle dos compromissos pelo advogado ao alcance das mãos, em qualquer ambiente e horário.

A nova integração da Agenda do Lawyer Eleven traz a sincronização com o Google Agenda ou o Calendário Outlook. O usuário ainda poderá utilizar a agenda em dispositivos móveis ou no sistema do escritório e também será notificado de seus compromissos. Pode esquecer aquelas situações em que você perde uma audiência porque a anotou na agenda pessoal do Google, e não na agenda do software. Agora, tudo está concentrado em um só lugar. Aproveite!

Você já ouviu falar em Legal Design Thinking? É a aplicação do Design Thinking no escritório de advocacia e em todo o meio jurídico. Isso se tornou muito comum com a transformação digital, mas poucos sabem como implantar essa novidade. Por isso, explicamos um pouco sobre o modelo e como aplicar o Design Thinking no escritório de advocacia. Confira!

O que é Design Thinking?

Design Thinking é uma abordagem centrada nos conceitos da área do Design e no componente humano das situações. Vale lembrar que o Design remete também a processos relacionados à ação e ao planejamento de soluções, não apenas à beleza.

Em palavras mais simples, é um modelo inovador que se dispõe a resolver problemas de pessoas, físicas e jurídicas, de forma criativa e empática. O foco de seu resultado está nas pessoas e na entrega de valor real.

Legal Design Thinking

O Design Thinking aplicado ao Direito é chamado de Legal Design Thinking. É o planejamento e a criação inovadora que pretende resolver problemas do cliente jurídico. Para tanto, os responsáveis por conduzir esse processo no departamento jurídico ou no escritório devem compreender as reais necessidades de seus clientes, com base na compreensão e na empatia.

O relacionamento com o cliente é, assim, a peça-chave desse modelo. Acolhimento e escuta atenta são práticas fundamentais que integram as primeiras etapas de implementação dessa estratégia no escritório de advocacia.

Como implantar o Design Thinking no escritório de advocacia?

A implementação do Design Thinking no escritório de advocacia deve ocorrer em algumas etapas. Veja:

  1. Entendimento do problema a ser resolvido, mediante coleta dos dados disponíveis sobre a situação;

  2. Observação e pesquisa, com entrevista dos envolvidos, para que se desenvolva a empatia, possibilitando a convergência de olhares;

  3. Ponto de vista, que é o momento de convergência do pensamento a partir das informações levantadas;

  4. Ideação, momento em que a pesquisa é transformada em diretrizes e soluções tangíveis;

  5. Prototipagem, que é dar vida às ideias, considerando a importância dos protótipos para medir as percepções sobre a solução criada;

  6. Teste ou validação das ideias por meio de testes dos protótipos e das hipóteses do projeto;

  7. Iteração, que é a absorção de feedbacks disponibilizados até a etapa de testes, o que ainda permite a adaptação do modelo para refinar as soluções se necessário.

Para que você compreenda melhor como implantar o Design Thinking no escritório de advocacia, veja alguns exemplos comuns:

  • Avisos de privacidade concisos, transparentes e com linguagem simples. Com um documento detalhado e bem escrito, o usuário tem a opção de aceitar ou não a política. É isso que evita problemas futuros;

  • Otimização de documentos, prática que transforma os documentos tradicionais para que atinjam a seu propósito. Um resumo antecipado pode evitar dúvidas e interpretações errôneas, por exemplo;

  • Simplificação de processos e otimização dos serviços jurídicos, como a visibilidade das tarefas para cada responsável e a comunicação virtual com clientes;

  • Colaboração entre clientes e profissionais, de forma que os clientes compreendam as questões e as leis aplicáveis relacionadas à sua demanda jurídica.

Software jurídico amigável e intuitivo

Um excelente exemplo da implantação do Design Thinking no escritório de advocacia é o uso de um software jurídico amigável e intuitivo. Uma boa ferramenta de gestão jurídica deve ser desenvolvida colocando as necessidades de seu público-alvo em primeiro lugar. Quando um software é amigável e intuitivo, facilitando o uso pelos profissionais e proporcionando benefícios, ele obedece aos princípios do Legal Design Thinking. Em outras palavras, ele melhora a experiência dos advogados e gestores, sendo uma entrega de valor. Já ouviu falar em “experiência do usuário”? É exatamente isso.

Implantar o Design Thinking no escritório de advocacia pode ser um desafio, mas certamente trará ótimos frutos na entrega de valor a seus clientes. Que tal começar organizando sua gestão com um software jurídico amigável e intuitivo, como o Lawyer Eleven? Conheça suas funcionalidades!

A área jurídica em 2020 promete ser de muitas oportunidades para os profissionais de Direito. No entanto, será preciso ficar de olho nas novidades tecnológicas e legislativas, que podem fazer surgir a necessidade de atualização e aprimoramento da atuação. Você está preparado para lidar com essas tendências, que podem modificar a relação entre os profissionais e entre advogados e clientes? Confira!

Atualização de normas e novas leis

Sem contar a aprovação da Reforma da Previdência, as alterações da reforma trabalhista e as possíveis mudanças econômicas que virão, a área jurídica em 2020 ainda pode esperar por atualização de normas antigas e pelo efeito de novas leis. Destacamos dois exemplos importantes: a possível atualização do Código de Ética e Conduta da OAB, que traz as normas relativas à conduta dos advogados, e a Lei Geral de Proteção de Dados, já que devemos ter especial atenção à privacidade em um mundo superconectado.

Código de Ética da OAB

O presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, já manifestou seu desejo em adequar o Código de Ética da instituição aos novos tempos de publicidade institucional. Atualmente, as normas não cobrem as novas hipóteses que surgiram com a transformação digital. Por isso, uma possível novidade da área jurídica em 2020 é a atualização do Código da OAB, permitindo que os profissionais façam marketing jurídico com segurança.

LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados é a lei brasileira que trata da privacidade no ambiente da internet. É um reflexo da GDPR (General Data Protection Regulation), a legislação referente ao mesmo tema que vigora na União Europeia. No Brasil, a LGPD foi sancionada há pouco tempo, mas a multa para empresas que desrespeitarem as regras pode atingir 2% do lucro da instituição infratora.

Por isso, os advogados devem ficar atentos diante desse mundo hiperconectado. Conhecer as regras é fundamental para assessorar bem às empresas e levar seus próprios negócios adiante. Um bom exemplo é que somente os dados considerados necessários para determinado fim podem ser coletados.

Humanização do Direito

As constantes atualizações normativas são regras para advogados. Mas uma grande tendência da área jurídica em 2020 é a humanização do Direito. Com a revolução digital se propondo a tomar o lugar dos profissionais em tarefas burocráticas, eles se voltam para o aspecto humano das relações. Por isso, a proximidade com os clientes das novas gerações é importante para encontrar soluções mais adequadas a eles.

Uma ferramenta importante para a humanização do Direito é o Legal Design, que procura por soluções para os clientes que estão na ponta. O uso de aplicativos para acompanhar o processo ou interagir com o advogado é um bom exemplo. Tudo que envolve proximidade e engajamento com o cliente diz respeito ao Legal Design e a humanização.

Novas competências

Com o advento tecnológico, as tarefas dos advogados mudaram bastante. Os profissionais da área jurídica em 2020 devem se aprimorar e desenvolver novas competências para serem menos operacionais e mais estratégicos. Já não basta o conhecimento técnico. É preciso desenvolver capacidades comportamentais (como o senso de dono), perfil empreendedor, visão de negócio, espírito colaborativo e se conectar às inovações tecnológicas.

Continuidade da inovação digital na área jurídica em 2020

A área jurídica neste ano ainda sofrerá os efeitos da ebulição digital. A rotina jurídica, que se transformou com o advento das ferramentas que aumentam a produtividade dos escritórios e departamentos, continuará com inúmeras possibilidades na automação dos processos internos.

As decisões devem ser tomadas com base na análise de dados. A inteligência artificial, com machine learning e internet das coisas, já está presente e se desenvolvendo na advocacia. ODR (Online Dispute Resolution), Legal Analytics e blockchain também já são utilizados.

A ideia da inovação digital é “fazer mais com menos”. Todas essas ferramentas se destinam a isso: otimizar os processos e aumentar a produtividade da equipe.

Por isso, a área jurídica em 2020 deve procurar as melhores inovações, com boas funcionalidades, para atender às suas demandas.

Atualização de normas, humanização do Direito, novas competências dos profissionais e continuidade da inovação digital. A área jurídica em 2020 está com boas perspectivas. O Lawyer Eleven, software da Alkasoft, está pronto e cheio de novidades para contribuir para que seu escritório tenha muito sucesso neste ano promissor. Que tal conhecer nossas funcionalidades?

Um software jurídico barato pode ser o “tiro que saiu pela culatra”. Muitos gestores argumentam que não adotam esse tipo de sistema pelo valor, que pesaria no orçamento, e, diante desse fundamento, procuram por soluções de baixo preço.

No entanto, eles não fazem ideia de como essa prática pode causar prejuízos consideráveis para o escritório de advocacia. Quer saber quais são eles? Veja!

Software jurídico barato nem sempre é seguro

Os gestores de um escritório de advocacia manifestam grande preocupação com a segurança da informação. Afinal, os dados dos clientes, em muitos casos, são sigilosos e não podem ser acessados por qualquer pessoa. Felizmente, com a revolução digital e os softwares, a gestão da informação se tornou bem mais prática e segura. Não se corre mais o risco de perda e roubo de arquivos físicos, que também poderiam ser destruídos por desastres naturais.

No entanto, aqueles que contratam um software jurídico barato não sabem que o sistema de segurança dessas ferramentas, nem sempre, atendem aos seus anseios. É comum que elas não sejam baseadas em nuvem, e que permitam o acesso ao sistema de qualquer lugar com a segurança da criptografia. Em geral, um software jurídico barato pode ser acessado somente no dispositivo no qual foi instalado.

Ou seja, se der algum problema na máquina, os dados não estão seguros.

Software jurídico barato nem sempre é confiável

O software jurídico barato também merece um olhar desconfiado. Em primeiro lugar, com a ausência de uma segurança forte, como confiar que aqueles dados que constam no sistema não foram modificados? Em segundo lugar, sua estrutura costuma ser mais simples, e isso não diz respeito somente às funcionalidades limitadas, mas também ao funcionamento. As chances de interrupção no programa certamente são maiores devido à alta probabilidade de falha de segurança e de execução de tarefas.

Software jurídico tem funções limitadas

Quando mais recursos, maior o valor que a ferramenta agrega ao escritório de advocacia. Considerando essa afirmação, é de se imaginar o motivo pelo qual os bons softwares jurídicos possuem um preço de mercado médio ou alto. As funcionalidades se relacionam diretamente ao bom custo-benefício do sistema.

Quando o gestor opta por um software jurídico barato, há grandes chances de ele não atender aos anseios do administrador por completo. Já pensou ter um sistema que realiza a captura automática de processos, mas não oferece organização do fluxo de trabalho ou das finanças? Qual seria o resultado disso? Simples: o gestor precisaria gastar mais recurso com ferramentas individuais, voltadas unicamente para as funcionalidades que o software jurídico barato não fornece.

Muitos profissionais questionam o custo-benefício dos softwares mais completos, que apresentam um valor mais alto. Mas a conclusão, quando se olha a situação na prática, é simples: em geral, eles oferecem mais valor ao escritório de advocacia. Em outras palavras, melhoram a produtividade das equipes, auxiliam o gestor no aprimoramento da condução do negócio, otimizam a organização e promovem a economia de tempo.

Software jurídico barato não oferece vantagem competitiva

Para ter vantagem competitiva, um bom software jurídico possui funcionalidades que trazem muitos benefícios ao escritório de advocacia, como vimos. Se ele realiza tarefas limitadas e não proporciona ao gestor uma administração completa, com visão global das informações, é pouco provável que o escritório transforme essas vantagens em competitividade.

Quer um exemplo? A emissão de relatórios gerenciais, personalizáveis conforme desejo do gestor, traz informações precisas e bem fundamentadas sobre os processos internos do escritório. Com base nesses dados, é possível tomar melhores decisões e colocar o escritório no rumo do crescimento.

É pouco provável que um software jurídico barato forneça essa funcionalidade, pois ela depende de alimentação de grande base de dados, o que só é suportável nos softwares mais completos, como o Lawyer.

Na hora de escolher um sistema para seu escritório, lembre-se de que o software jurídico barato pode sair caro ao longo prazo para o crescimento de seu negócio. Se você deseja usufruir das vantagens desse sistema, conheça o Lawyer!

Acompanhar andamentos processuais e o recebimento das publicações de todos os Diários Oficiais é uma das tarefas chatas e burocráticas de um escritório de advocacia. Com uma rotina intensa, os profissionais podem perder muito tempo com isso, motivo pelo qual o acesso automático se torna uma ótima opção. O Lawyer Eleven, software da Alkasoft, oferece a funcionalidade, que auxilia os profissionais e o gestor do escritório no dia a dia, e a gestão da informação dos processos jurídicos.

Se você não sabe como funciona a atualização automática de andamentos processuais e o clipping de publicações em diários oficiais do Lawyer Eleven, confira!

Acesso automático aos andamentos processuais e realização do clipping das publicações nos Diários Oficiais

O software jurídico Lawyer Eleven é uma solução eficaz para automatizar processos internos. Ele assume para si muitas tarefas que compõem o fluxo de trabalho de um escritório de advocacia. Afinal, existem atividades que podem ser realizadas pela tecnologia, ao invés de ocupar o tempo dos profissionais – e o acesso automático aos andamentos processuais e o recebimento das publicações oficiais é uma delas.

O sistema permite o acesso aos detalhes de cada ação. Pastas de processos, recursos, incidentes e apensos são consultados pelo profissional. Todas as informações são abastecidas pelo próprio Lawyer Eleven de forma automática, assim, sempre que houver uma movimentação, o advogado ou outro profissional saberá. 

Essa medida não traz somente a otimização do tempo, mas, também, produtividade e minimização de erros. Quer mais vantagem no acesso automático aos andamentos processuais e publicações oficiais? O Lawyer Eleven ainda permite o acesso aos processos atualizados de qualquer lugar pela internet, pois é baseado em nuvem.

Módulo pasta processual

O Lawyer Eleven é um sistema dividido em módulos. Cada um deles possui funcionalidades voltadas para resolver problemas em um âmbito da gestão e do dia a dia dos escritórios de advocacia. 

Um dos módulos é voltado para os andamentos processuais: “Pasta Processual”. Ele permite ao gestor visualizar, de forma ágil, como as atividades do escritório de advocacia estão progredindo. É também por meio dele que se gerencia as pastas de processos, recursos e incidentes. 

Caso queira consultar os detalhes de cada processo, como situação atual e a atualização automática dos andamentos processuais, é possível. 

Lawyer Diários

O Lawyer Eleven oferece uma funcionalidade voltada para as publicações oficiais. Já imaginou buscar informações nos diários oficiais manualmente? Além de perder tempo, a chance de erro é grande diante de tanto volume de informação. 

Com o software, o advogado cadastra o processo jurídico e pode vincular as publicações oficiais a ele automaticamente. Se não tiver um processo cadastrado, a publicação fica sem vínculo momentaneamente, até ser vinculada ao processo referente.

Lawyer Capture

Esse serviço de captura automática das publicações oficiais traz, periodicamente, as novas movimentações publicadas sobre os respectivos processos nos órgãos da justiça. O Lawyer Eleven apresenta um quadro de resumo. Nele, constam dados que se referem às cotas de capturas e quantidade ativa. Vale destacar que se você possui o Lawyer Web, e não o Lawyer Eleven, a ferramenta de captura é uma funcionalidade adicional.

O Lawyer Capture captura os andamentos processuais de todos os tribunais, como o E-PROC, PROJUDI, PJE, entre outros.

Se você deseja otimizar o tempo de sua equipe do escritório de advocacia, acompanhar os andamentos processuais e o recebimento das publicações de diários oficiais de forma automática é uma medida urgente. Conheça já o Lawyer Eleven e veja como ele pode ajudá-lo!

Um escritório de advocacia pequeno tem rotinas mais simples devido à demanda menor. No entanto, de forma semelhante às grandes bancas, os profissionais possuem tarefas determinadas e prazos. Ou seja, a natureza dos processos internos e do fluxo de trabalho é a mesma, o que faz nascer a necessidade de ter boa organização para otimizá-los.

Para tanto, muitos gestores optam por investir em soluções tecnológicas para melhorar a produtividade na consecução dos processos. Assim, conseguem evitar que tarefas sejam feitas de forma manual, o que compromete a eficácia. Dentre as soluções, está o software jurídico, mas um escritório de advocacia pequeno se beneficia dessa tecnologia? Sim, e mostramos a seguir os motivos. Confira!

Software jurídico para escritório de advocacia pequeno

As melhores soluções de software jurídico do mercado se aplicam a escritórios de advocacia de qualquer porte. Você pode trabalhar sozinho ou ter inúmeros advogados ao seu lado, tanto faz – esse tipo de solução consegue se adequar às necessidades de cada negócio.

Advogados que têm um escritório de advocacia pequeno podem se beneficiar do software de algumas formas. E, felizmente, na medida em que o negócio cresce, a solução dispõe de mais funcionalidades, que podem interferir positivamente na gestão. Se no início da carreira você precisa somente organizar rotinas, especialmente a gestão de prazos, com mais tempo gostará de contar com robôs de automação, relatórios personalizados e cadastramento em lote dos processos. Há um software jurídico para cada demanda.

Benefícios do software para escritório de advocacia pequeno

Os benefícios que um bom software jurídico pode trazer para um escritório de advocacia pequeno dizem respeito à organização da rotina. Podemos citar como principais vantagens:

  • Visão global do escritório: o software jurídico confere ao gestor visibilidade acerca de dados estratégicos do escritório, especialmente quanto ao fluxo de tarefas e de processos internos. Por meio de relatórios, é possível tomar ações assertivas para resolver gargalos na rotina;

  • Gestão financeira: ainda que um escritório de advocacia pequeno não trabalhe com um alto montante de recursos financeiros, é possível utilizar o software para ter controle das finanças (honorários, despesas fixas e variáveis, controle de fluxo de caixa);

  • Gestão de tempo: conciliar agendas, ter visibilidade do fluxo de tarefas e dos processos internos possibilita ao advogado ter mais controle do seu tempo, o que influencia positivamente na produtividade;

  • Produtividade: a tecnologia proporciona ao escritório de advocacia pequeno a otimização de toda a rotina, fazendo com que a equipe seja mais ágil, confiante e eficaz. Em suma, mais produtiva;

  • Controle de prazos: a solução possui a funcionalidade de agenda, sincronizando o calendário e o compartilhando entre os profissionais, o que proporciona uma gestão eficaz dos processos jurídicos.

Escolha do software para escritório

Para que o escritório de advocacia pequeno usufrua das vantagens do software jurídico, o gestor deve escolher uma solução adequada às suas necessidades. Quais são os maiores desafios do seu negócio? Como a ferramenta agregará valor à rotina e auxiliará no dia a dia?

Após entender os desafios, compreende-se o objetivo de ter um software. Como pontuamos, em um escritório de advocacia pequeno, a grande questão é controlar os processos internos de modo a atender aos prazos. Tendo isso em mente, deve ocorrer uma pesquisa sobre os módulos e funcionalidades ofertados.

Pode ser que você precise de um módulo de controle de horas integrado com o módulo financeiro. Ou que a organização de clientes e relacionamento seja sua maior dificuldade (e existe uma funcionalidade para isso). Há impasses para fazer o acompanhamento processual ou o controle de prazo? Seria bom contar com o módulo de captura automática de andamentos processuais.

O escritório de advocacia pequeno pode usufruir de inúmeras vantagens que um software jurídico oferece. No entanto, isso dependerá de uma contratação acertada e adequada às necessidades.

Que tal conhecer o Lawyer, da Alkasoft? Ele pode atendê-lo da melhor maneira possível e proporcionar uma gestão otimizada!

Você sabia que a Alkasoft é uma das empresas confirmadas como patrocinadora na FENALAW 2019

Com este patrocínio, clientes e amigos poderão participar do Congresso da Fenalaw obtendo um desconto exclusivo de 15% sobre o valor de tabela da inscrição, usando o código: ALKASOFT

No dia 24/10, o Dr. Gustavo Zimmermann Sachser, sócio do escritório Melissa Folmann Advocacia e Consultoria e cliente Lawyer, também fará duas palestras nos representando: com o tema “Lean Thinking como Diferencial Estratégico” no palco Fenatalks às 10h30 (aberta ao público)  e “Lean Thinking na Gestão de Escritórios de Advocacia” no palco PME às 11h50. Não deixe de prestigiá-las!

Além do Congresso, o evento conta com uma área de exposição que reúne mais de 90 marcas expositoras, com novos produtos, serviços e tecnologias para mais de 5.000 profissionais do setor em um único ambiente, ideal para gerar novos negócios com os principais players.

E também estaremos por lá, no stand número 48, aonde os visitantes terão a oportunidade de concorrer a uma licença do software jurídico Lawyer Eleven sem custo no 1° ano de contrato e conhecer mais detalhes do nosso novo produto. Não deixe de nos visitar e conhecer a nossa equipe!

A visitação na feira é gratuita.  

Nos vemos lá.

Equipe Alkasoft

*** 

Quer saber como realizar networking em eventos para advogados? Confira neste post.

A rotina de um departamento ou negócio jurídico é repleta de desafios, de prazos a serem acompanhados e cumpridos, de tarefas a serem executadas em detalhes. Qualquer compromisso que fique para trás pode acarretar grandes transtornos. Então, como evitar esse tipo de situação e promover a máxima otimização de tempo e de recursos?
O departamento jurídico da Cinesystem encontrou sua resposta no Lawyer Web. E, nesta série especial de Cases Alkasoft, gostaríamos de dividir esse case de sucesso com vocês.
A seguir, saiba mais sobre o Lawyer Web e como o Cinesystem está utilizando a solução em seu dia a dia.

O que é o Lawyer Web?

O Lawyer Web é a solução da Alkasoft voltada exclusivamente para automatizar tarefas e otimizar o gerenciamento de Escritórios de Advocacia e Departamentos Jurídicos.

Trata-se de um software desenvolvido com tecnologia de ponta, visando aprimorar e promover uma gestão completa do escritório ou setor jurídico por meio de uma única ferramenta, acessível de onde for preciso, pois utiliza armazenamento na nuvem.

Esse sistema ajuda a organizar e agilizar rotinas e tarefas, fazer um controle preciso de prazos, de produtividade da equipe, o acompanhamento de processos, entre outras facilidades.

Como o Lawyer Web mudou a rotina do Departamento Jurídico da Cinesystem?

O Departamento Jurídico da Cinesystem ampara todos os demais departamentos da companhia, desde o Fiscal e de Controladoria até o Comercial e Marketing, incluindo, também, a Diretoria e, eventualmente, o Conselho de Administração, além das áreas operacionais. Deste modo, com o escopo de trabalho do setor jurídico bem amplo, havia a demanda por uma solução que pudesse ser igualmente versátil.
O departamento optou pelo Lawyer Web em 2013. Por meio dele, é feito o acompanhamento de ocorrências relacionadas a negócios jurídicos e registro de marcas e patentes no INPI, entre outras ações estratégicas.
“As ferramentas do Lawyer que mais utilizamos estão relacionadas ao controle de audiências, andamento processual, e cadastro de contratos e outros negócios jurídicos, com alerta de vencimento e renovação. E os módulos que são mais úteis em nossa rotina são os de Contratos, Processos e Agenda”, afirma João Prado, advogado no Departamento Jurídico da Cinesystem.
Além das funcionalidades, Prado ressalta o Suporte Técnico como o grande diferencial do sistema da Alkasoft. Ainda, o Alkadicas, o informativo online sobre usabilidade do sistema, enviado semanalmente para clientes da Alkasoft, também é destacado: “achamos a iniciativa muito boa e a ideia muito interessante”, resume.

***

Lawyer Web: solução 100% centrada em nosso cliente

Um detalhe que faz dessa uma solução tão eficaz e aderente à realidade dos escritórios e departamentos jurídicos é que o Lawyer Web foi desenvolvido, e é constantemente aperfeiçoado, a partir da experiência e das trocas que fazemos com nossos clientes.
Assim como a Cinesystem, transforme também seu departamento ou escritório em um case de sucesso! Solicite uma avaliação gratuita do Lawyer Web e confira, na prática, os benefícios que podem ser promovidos. Aguardamos o seu contato! 

Inovações por todo o lado. Esse é o retrato da Inteligência Artificial no Direito. A transformação digital invadiu todos os segmentos da sociedade, as relações pessoais e profissionais. Apesar de causar certo temor em algumas pessoas, especialmente considerando a diminuição dos postos de trabalho, a IA não surgiu com a ideia de competição.

A inteligência artificial no Direito aparece, na verdade, para deixar ao advogado as funções que são exclusivas dele. Ou seja, ele fará coisas em que não pode ser substituído, como o atendimento pessoal e empático ao cliente. À tecnologia a burocracia!

Saiba um pouco mais sobre a Inteligência Artificial no Direito.

Inteligência artificial no Direito: aplicações

Escritórios de advocacia, departamentos jurídicos, administração pública. A inteligência artificial no Direito não se restringe ao âmbito privado, mas alcança os tribunais e outras instituições públicas. Em qualquer lugar, ela possui aplicações que podem otimizar a atividade e aumentar a produtividade dos profissionais.

Isso porque a inteligência artificial é baseada no aprendizado contínuo na coleta, processamento, pesquisa e análise de informações. Em outras palavras, a tecnologia aprende a se comportar como um humano. Na advocacia, pode ser como assistente virtual dos advogados e demais profissionais. Sua principal aplicação é automatizar tarefas. Realizar pesquisas, rever contratos e ou prever resultados estão dentre suas atribuições.

Pesquisa

Quanto tempo você demora para escrever uma petição de um tema que não conhece? É preciso pesquisar doutrina, artigos, jurisprudência e legislação para fundamentar bem sua peça. Felizmente, com a IA, é possível analisar documentos em poucos segundos. 

Ao invés de você dedicar 4 horas para isso, deixe que a tecnologia faça isso em 15 minutos. Esse tempo a mais, inclusive, ocasionaria uma elevação nos valores dos honorários advocatícios. Com a tecnologia, é possível se manter num preço competitivo.

Revisão de contratos

Outra funcionalidade da inteligência artificial no Direito é a revisão contratual. Já existem plataformas baseadas nessa tecnologia que consegue escanear o contrato e apontar cláusulas omissas ou que exigem revisão. 

Previsão de resultados

Análise de probabilidades pode ser uma tarefa ingrata para o advogado. São muitas horas pensando no que poderia ser, no entanto, a inteligência artificial pode assumir esse papel de analisar documentos para tomar a melhor decisão. Essa tecnologia otimiza o processo de análise de probabilidades, comparação de ações similares e de tendências da jurisprudência. Com a extração de dados do big data jurídico, ela identifica novos casos e elabora estatísticas. 

Em palavras técnicas, é a IA atuando na relação entre modelos preditivos (uso de dados e algoritmos para prever situações futuras) e jurimetria (aplicação da Estatística para compreender processos e fatos jurídicos). 

Benefícios da inteligência artificial no Direito

Utilizar a inteligência artificial no Direito pode trazer muitos benefícios para os usuários, tais como:

  • Agilidade na resolução dos processos: um robô de automação pode cadastrar processos em lotes, capturar os andamentos automaticamente e registrá-los em um software, monitorar e analisar resultados de um processo, escrever peças jurídicas, realizar mediações entre litigantes, etc.;

  • Decisões gerenciais mais fundamentadas: a Inteligência Artificial no Direito extrai dados relevantes por meio de um robô de automação, a partir da identificação de padrões, para prever tendências e demandas, o que possibilita ao gestor tomar decisões mais fundamentadas. 

  • Redução de gastos: ao otimizar a produtividade das equipes, os negócios de advocacia podem aumentar sua margem de lucro.

Desafios

Adotar inovações em um mercado tradicional como o jurídico é um grande desafio. Por isso, pensar em inteligência artificial no Direito é também pensar no que deverá ser trabalhado com as pessoas para que elas aceitem essa tecnologia. Basicamente, são três grandes desafios:

  1. Resistência à mudança: em geral, advogados têm fluxos de trabalho já definidos e se mostram resistentes a adotar uma tecnologia avançada para agregar aos processos internos;

  2. Pensamento de competição: há um grande burburinho a respeito da diminuição dos postos de trabalho com o advento da inteligência artificial no Direito, o que incute nos profissionais o pensamento de competição.

  3. Qualificação profissional: inovações sempre demandam atualização no conhecimento. Por isso, um desafio da IA no Direito é o desenvolvimento de novas habilidades, como a análise e a interpretação de dados, para que os profissionais se mantenham no mercado.

A inteligência artificial no Direito pode ser utilizada para otimizar a prestação de serviços. Os profissionais se dedicam a atividades estratégicas enquanto a tecnologia faz o trabalho burocrático.

Você utiliza alguma solução de IA? Conte para a gente sua experiência!

O marketing jurídico é utilizado por advogados e escritórios de advocacia para aumentar sua cartela de clientes. No entanto, a publicidade também se presta a outras funções, como melhorar o posicionamento da marca no mercado e criar credibilidade. Assim como em outras opções, o marketing na advocacia é regulado pela OAB, que impõe limitações à publicidade do advogado.

Veja como fazer um bom marketing jurídico de acordo com as regras da OAB.

Obedeça às restrições da OAB para o marketing jurídico

O advogado pode anunciar os seus serviços profissionais com discrição e moderação para finalidade exclusivamente informativa. Não é possível realizar divulgação em conjunto com outra atividade. Essa é a primeira premissa presente no Código de Ética e Disciplina da OAB que baliza todo o marketing jurídico.

O Provimento 94/2000 da entidade também dispõe sobre a publicidade, a informação e a propaganda da advocacia. Ele basicamente diz que a publicidade deve apenas levar ao conhecimento do público dados objetivos e verdadeiros a respeito dos serviços de advocacia.

A regra principal, portanto, é o caráter informativo do marketing jurídico, que objetiva preservar a credibilidade do serviço e a dignidade da profissão. Por isso, a OAB impõe limitações.

Limitações previstas no Código de Ética da OAB

As principais limitações ao marketing jurídico estão previstas no Código de Ética da OAB. Dentre elas, podemos citar: 

  • Fazer publicidade por meio de rádio ou televisão, exceto se a aparição visar a ilustração, educação ou instrução, sem propósito de promoção pessoal ou profissional; 

  • Fazer publicidade em eventos estranhos à área jurídica (culturais, esportivos, artísticos);

  • Oferecer serviços por fax, e-mail, BIP ou mensagens de celular;

  • Realizar publicidade vinculada ao possível resultado de uma causa;

  • Abordar temas que comprometam a dignidade da profissão;

  • Anunciar em catálogos profissionais ou empresariais;

  • Promover-se em manifestação pública.

Invista no marketing de conteúdo

Realizar um marketing jurídico de acordo com as regras da OAB é possível. Basta obedecer às limitações que pontuamos acima. Uma das formas mais efetivas é investir no marketing de conteúdo, marcando presença no meio digital de forma interessante para potenciais clientes. De forma simples, esse tipo de marketing se baseia na produção de conteúdos relevantes e de qualidade, como textos de blogs, e-books, infográficos, vídeos etc. 

Para tanto, é preciso adotar algumas práticas, como:

  • Crie um blog, já que o conteúdo produzido deve ter uma vitrine. Em geral, ele é uma parte do site do escritório de advocacia. É uma ferramenta de comunicação e interação com o público-alvo, sendo que os links com os conteúdos podem ser publicados nas redes sociais;

  • Produza guest posts, que é quando você produz um conteúdo para um blog de parceiros sobre um tema de sua especialidade. É uma boa estratégia para que mais pessoas conheçam seu trabalho;

  • Produza conteúdos relevantes e coerentes com seu público-alvo, considerando principalmente uma linguagem acessível e informativa;

  • Faça um brainstorming para selecionar as melhores ideias para a criação de conteúdos relevantes e manutenção do blog;

  • Tenha auxílio de profissionais de marketing, que conhecem as técnicas que otimizarão seu marketing jurídico;

  • Tenha um cronograma de postagem, porque um dos pilares do marketing jurídico é estar sempre presente.

O resultado desse investimento é atrair mais usuários, gerar relevância no meio digital (inclusive subindo nas posições de ranqueamento dos mecanismos de busca), aumentar a credibilidade do seu escritório e fortalecer sua marca.

Utilize o Google Ads

A atualização mais recente sobre o marketing jurídico é um parecer do Órgão Consultivo do Tribunal de Ética e Disciplina da OAB/BA sobre a publicidade da advocacia na plataforma Google Ads. De acordo com o tribunal, advogados podem usar o anúncio de texto à mostra para quem busca pelo serviço, mas não podem contratar as ferramentas de certos anúncios (gráficos, vídeos e apps) que geram a captação de clientela que não busca pelo serviço.

O TED concluiu:

  1. “A utilização do serviço de Anúncio de Texto do ‘Google Ads’ não viola norma deontológica da profissão. Isso porque esta modalidade de anúncio somente alcança usuários que procuram pelos serviços advocatícios; nesse caso (Anúncio de Texto do ‘Google Ads’), o potencial cliente é que está a procurar o advogado e não o contrário”.

  2. “A utilização dos Anúncios Gráficos, de Vídeos e de Aplicativos do ‘Google Ads’ contraria normas deontológicas da advocacia, pois, por força deles, a publicidade gerada alcança pessoas que não estão procurando serviços de advogados.”

Realizar um bom marketing jurídico é uma ótima forma de fazer seu negócio crescer. Se você adotar boas práticas, conseguirá captar clientes e aumentar sua lucratividade.

Você tem boas ideias de publicidade na advocacia? Compartilhe conosco!