A inteligência artificial no mercado jurídico era uma tendência e hoje já é realidade. A evolução tecnológica trouxe aos advogados inúmeras ferramentas para tornar a atividade jurídica mais produtiva e organizada. Softwares jurídicos em nuvem, chatbots, machine learning e outras soluções modificam por completo o dia a dia dos profissionais

Apesar do temor de alguns advogados sobre a invasão tecnológica, a IA no Direito traz muitas vantagens, que demonstramos neste post. Confira!

O uso da inteligência artificial no mercado jurídico

O uso da inteligência artificial no mercado jurídico brasileiro é relativamente recente. Mas, em outros países, ela já está presente há algum tempo. O caso mais famoso é a plataforma cognitiva Watson, elaborada pela IBM. Sua função é agilizar o trabalho dos advogados e conferir precisão e qualidade nos serviços jurídicos repetitivos. Algumas de suas tarefas são: 

  • Elaboração de programas de gestão e análise de dados e informações;
  • Customização ágil de modelos digitais de documentos;
  • Soluções de dúvidas de natureza contábil e jurídica;
  • Pesquisas avançadas de jurisprudência;
  • Agendamentos automatizados.

Outro bom exemplo de IA para advogados é o ROSS, uma inteligência artificial da IBM contratada em 2017 para trabalhar com falência. O escritório, que possuía 50 advogados do escritório no setor naquele momento, utilizou o ROSS para monitorar decisões que afetam os casos e para retornar com sugestões de leituras de tópicos conforme as perguntas dos advogados. 

Perceba que algumas tarefas da inteligência artificial no mercado jurídico também estão presentes nos softwares jurídicos. A ideia principal é automatizar certas funções, deixando para a tecnologia as tarefas repetitivas e burocráticas. Dessa forma, os advogados se dedicam a atividades intelectuais e de contato com o cliente.

Por causa de suas vantagens, podemos esperar que o uso da IA no Direito será ainda maior nos próximos anos.

As vantagens da IA no Direito

Em alguns anos, a tecnologia assumirá funções mecânicas exercidas em qualquer atividade. O temor de que ela acabará com alguns cargos tem sua razão de ser. Mas, ao mesmo tempo, criará novas ocupações que demandam conhecimento sobre ela. É um mito acreditar que a IA para advogados acabará com a advocacia.

No Direito, por exemplo, podemos esperar novos cargos que relacionam Direito e Tecnologia. A automatização diminuirá também a quantidade de processos. Com o uso da inteligência artificial no mercado jurídico, veremos isso acontecer em órgãos públicos, escritórios de advocacia e departamentos jurídicos. Mas os profissionais continuarão sendo essenciais.

E quais as vantagens da IA no Direito? Veja a seguir!

Gestão eficiente do escritório ou departamento jurídico

A automatização de tarefas com o uso da inteligência artificial no mercado jurídico traz menor índice de erros profissionais e mais tempo livre aos advogados. Com mais tempo, todos serão capazes de organizar melhor sua agenda para se dedicarem a tarefas estratégicas.

Os gestores de escritórios e departamentos jurídicos, por exemplo, poderão utilizar a IA no Direito para coletar e analisar dados gerenciais para tomar decisões fundamentadas. Já ouviu falar em data mining? É a inteligência artificial atuando na extração de dados relevantes de um conjunto. E isso ocorre nos já conhecidos softwares de gestão jurídica, que escaneiam informações do escritório para uma melhor tomada de decisões.

Os softwares também fazem captura automática de processos e outras tarefas que são manifestações da IA para advogados.

Uso de métricas e cruzamento de informações para previsões

Com o uso da inteligência artificial no mercado jurídico, é possível identificar padrões, tendências e demandas. Isso ocorre especialmente com a adoção de machine learning e sistemas cognitivos. O grande acervo de dados do negócio jurídico será analisado e interpretado pela tecnologia. Quanto mais ela “estuda”, mais assertiva ela se torna. 

É o aprendizado de máquina. Com as informações e o uso de métricas, poderá fazer recomendações específicas para os processos, analisar estatísticas para elaborar recursos e outras peças. O cruzamento dessas informações permite à IA no Direito fazer previsões, aumentando as chances de êxito nas demandas.

Redução de gastos

Se a gestão do escritório se torna mais eficiente, e os profissionais se tornam mais produtivos, a redução de gastos no negócio jurídico é uma consequência lógica. Mas podemos pegar um exemplo mais direto de como a inteligência artificial no mundo jurídico contribui para menores custos.

A “Outside Counsel Insights (OCI)”, da IBM WATSON, é uma plataforma de IA criada especificamente para reduzir gastos e avaliar os serviços advocatícios prestados. Ela utiliza padrões para revelar as ineficiências dos escritórios em certas áreas.

Na prática, permite ao gestor analisar as situações que trazem melhor remuneração ao profissional (trabalho de maior valor), rever ou eliminar processos e áreas.

A inteligência artificial no mercado jurídico é uma aliada dos advogados. A ideia de que a tecnologia ocupará funções essencialmente humanas é somente um mito. Ela vem para conferir mais eficiência na gestão, ajudar na tomada de decisões e reduzir gastos.

Conheça as principais tendências jurídicas para 2021!

Planilha: Controle de indicadores de produtividade dos advogados

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.